terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Crianças e Adolescentes Vitimas de Abuso Sexual


Há pouco tempo atrás falar abertamente sobre abuso sexual* de crianças e adolescentes era um verdadeiro tabu. A grande maioria dos casos era escondido por vergonha e medo. Hoje a realidade está um pouco diferente, mas os adultos, por motivos diversos, ainda preferem, manter o silêncio, fazendo de conta que nada está acontecendo, pois expor e enfrentar a situação de forma aberta e corajosa implica em mexer em uma ordem familiar estabelecida.
Por conta deste interminável sigilo, as crianças e os adolescentes tornam-se involuntariamente cúmplices de sua própria dor, sendo obrigadas a assumirem sozinhas as terríveis conseqüências físicas e psicológicas do abuso.
O abuso acontece sempre que a criança ou o adolescente estão sozinhos. Este terrível segredo é difícil de ser partilhado, pois tanto a criança quanto o adolescente teme a punição ou não acreditam na capacidade do adulto de protegê-los. Se não conseguem falar é porque não tem mais confiança no adulto. Outros, quando falam, são desacreditados e acusados de sedução. Para um vitima não há nada pior do que se abrir para algum que duvida dela.
R.C. Summit (1983) descreveu a síndrome de acomodação da criança e adolescente vítimas de abusos sexuais: “Se o diagnostico de abuso não foi feito, e se as pessoas não acreditam na criança ou no adolescente, os distúrbios são mais discretos e eles aprendem a aceitar a situação e sobreviver a ela, sob o risco de as conseqüências só se manifestarem mais tarde na forma de graves problemas de personalidade”.
As nossas crianças e os nossos adolescentes estão sequelados pelo excesso de abuso que sofrem e é o nosso dever ajudá-los. Romper com o silêncio e acreditar na vítima do abuso é um primeiro e importante passo.
_______________________
* A Organização Mundial de Saúde define o abuso sexual da seguinte maneira: “A exploração sexual de uma criança ou adolescente implica que esta seja vítima de um adulto ou de uma pessoa sensivelmente mais idosa do que ela com a finalidade de satisfação sexual desta. O crime pode assumir várias formas: ligações telefônicas obscenas, ofensa ao pudor e voyeurismo, imagens pornográficas, relações ou tentativas de relações sexuais, incesto ou prostituição de menores”.

14 comentários:

  1. O abuso sexual infantil é uma das condições que mais afetam o desenvolvimento neurocognitivo da criança, alterando, inclusive, sua comunicação neuronal. Disso pode resultar um adolescente/adulto com depressão, transtorno do pânico, hiperatividade, transtornos compulsivos (sexo, compras, comida) e outras distúrbios psiquiátricos. É fundamental que o psi, seja de que orientação for, investigue casos de violência infantil na história do seu paciente a fim de que possa ajudar na reconstrução emocional - e as vezes física mesmo - da pessoa à sua frente.
    Mariano, São Caetano do Sul, SP
    (parabéns pelo Blog, Lila! Está muito bonito e informativo. Tenho certeza de que vai ajudar muita gente)

    ResponderExcluir
  2. Mariano, São Caetano do Sul, SPquinta-feira, 22 janeiro, 2009

    O abuso sexual infantil é uma das condições que mais afetam o desenvolvimento neurocognitivo da criança, alterando, inclusive, sua comunicação neuronal. Disso pode resultar um adolescente/adulto com depressão, transtorno do pânico, hiperatividade, transtornos compulsivos (sexo, compras, comida) e outras distúrbios psiquiátricos. É fundamental que o psi, seja de que orientação for, investigue casos de violência infantil na história do seu paciente a fim de que possa ajudar na reconstrução emocional - e as vezes física mesmo - da pessoa à sua frente.
    Mariano, São Caetano do Sul, SP
    (parabéns pelo Blog, Lila! Está muito bonito e informativo. Tenho certeza de que vai ajudar muita gente)

    ResponderExcluir
  3. Querida Lila!
    Que bom contar com este espaço para partilhar assuntos de nossos pequenos. Arte difícil esta missão mas também repleta de encantamentos.
    Beijo enorme,
    Germana

    ResponderExcluir
  4. LILA , PARABENS! QUE IDEIA MARAVILHOSA, NOS PRECISAMOS MUITO DE ORIENTACAO E PORQUE NAO DIZER UM HELP, AFINAL ATE QUE SABEMOS , MAS EM ALGUNS MOMENTOS NAO CONSEGUIMOS COLOCAR EM PRATICA E SEU BLOG TRAS TEMAS QUE NOS FAZ REFLETIR E ASSIM PODEREMOS TOMAR A MELHOR DECISAO . SUA ATITUDE FOI BRILHANTE E AS ORIENTACOES VINDA DE VC EU ASSINO EMBAIXO. UM GRANDE BEIJO E SUCESSO

    ResponderExcluir
  5. Querida Lila, gostei muito do seu blong. Penso que vai muito útil para mim e todos que estiverem interessados no asunto. Obrigada por compartilhar conosco um pouco do seu conhecimento e da sua experiencias. Sinto saudade e espero ansiosa pelo nosso encontro em Maio.
    Beijo Rose de São Luis

    ResponderExcluir
  6. Lila, concordo em gênero, número e grau. É interessante atentar, também, que o medo de revelar aos pais o abuso deve ser um alerta de que a relação familiar está falha, devendo ser revisto o modo como se ouve a criança, para que ela sinta-se mais à vontade para contar segredos tão importantes...
    Beijos, amiga! Você é show de bola!
    Carol.

    ResponderExcluir
  7. oi, Lila!
    Passando, espiando e achando tudo maravilhoso. Bela iniciativa. Precisamos de mais espaços como este... com certeza vai ajudar muitas pessoas... sucesso!!!
    Adenize.

    ResponderExcluir
  8. Oi, passando, espiando e achando tudo maravilhoso. Parabéns pela bela iniciativa. Precisamos de mais espaços como este.
    Sucesso.
    ADENIZE

    ResponderExcluir
  9. É muito bom saber que existe pessoas como você, que se preocupam com, as nossas crianças e o nossos adolecente.
    Eu tenho uma amiga que já passou por esse constrangimento,Pelo seu próprio pai.
    Eu acompanhei tudo de perto, o sofrimento dela,e assim como o dela o de toda sua familia.
    Sei que ela passou maus bocado,em perceber que o seu próprio pai foi capaz de fazer uma maldade dessas

    ResponderExcluir
  10. O que dizer à uma criança vítima de abuso sexual?

    ResponderExcluir
  11. Olá! Independente do tipo de abuso que a criança sofreu, é importante ouvir e acreditar no que está sendo dito por ela. Quando se trata de abuso sexual, é indispensável o acolhimento e a segurança de alguém confiável da família (ou de fora dela se for o caso). A criança precisa se sentir segura o suficiente a ponto de voltar a acreditar e confiar em alguém novamente e a reconstruir a sua inocência e crença no outro e no mundo. O adulto resposnável por esta criança precisa pedir desculpas por não tê-la protegido o suficiente e dizer que de agora em diante fará o impossível para que ela jamais sofra isso outra vez.
    Existe muito mais a ser dito sobre como cuidar de uma criança após um abuso. Postarei um artigo com este tema.
    Espero ter respondido a sua pergunta.
    Abraços,
    Lila

    ResponderExcluir
  12. Eu acho que esse tipo de pessoa que comete um abuso deveria receber uma punição de acordo com a lei e ser punido.Pois que tipo de ser humano comete um ato tão monstruoso com seres tão inofencivos

    ResponderExcluir
  13. Lila querida, adoro este teu blog e vim neste justamente porque ultimamente ando impressionada com as notícias dos veículos de comunicação. É estarrecedor o volume de notícias de crianças abusadas sexualmente por pais, parentes...vizinhos. Olha, juro, muitos do que li, larguei tudo, arredei minha cadeira para trás e cai no choro. Pois a crueldade é algo que acredito que nem Jesus consiga entender. A menina de Goiana que antes de morrer conseguiu dizer quem havia feito aquela atrocidade nela(espancar e violentar)... disse 'tio..." olha... só de falar me dá nó na garganta. São tantas violências e eu me pergunto por quê? Imagina se eu trabalhasse no JIJ(Juizado da Infância e Juventude)... já estaria num centro de psiquiatria com depressão profunda. Ajudo um Lar de Bebes que sofreram abusos ou abandono e a cada relato...uma punhalada no meu coração. Olha... Se pudesse Lila, se fosse um Bill Gates, uma Paris Hilton(exemplos tolos...mas são pessoas que tem capital para fazer isto) teria mansões e mansões só para abrigar estas crianças que suplicam por amor e carinho... ui... não páro de digitar...bom..fica aqui o meu desabafo...

    ResponderExcluir
  14. Oi Fabiana!
    É verdade, as histórias de abuso não param. É tudo muito triste e cruel.
    Fico feliz em saber que você ajuda crianças, isso mostra o quanto é bom o seu coração. Façamos a nossa parte, mesmo que pareça pouco, mas para alguém pode ser muito e significativo.
    Cuida de nossos filhos com amor e educá-los para o bem, é plantar uma semente boa e colher um adulto saudável que poderá ajudar a outras pessoas e assim por diante.
    Fica com Deus e faça orações por essas crianças.
    Abraços,
    Lila

    ResponderExcluir