domingo, 28 de agosto de 2011

Diga apenas "sim" aos seus filhos!

Você já parou para contar quantas vezes ao dia você escuta dos seus filhotes a frase acima? Caso ainda não tenha feito isso, por curiosidade e estatística materna, faça!
A pergunta pode ter versões variadas, por exemplo: “Mãe, você pode arrumar os meus brinquedos?” ou “Mãe vamos viajar para a Sibéria?” etc. O questionário infantil é infinito então, prepare-se para responder sempre sim para todas as incríveis perguntas que essas crianças maravilhosas fazem.

Parece loucura, não? Mas não é! Você perceberá que essa simples estratégia evitará uma imensidão de conflitos cotidianos com os seus filhos. O truque é que se trata de um sim condicional. Eu uso essa técnica com o meu filho e ele se sente sempre ouvido e autorizado, mesmo que não consiga o que quer.
A idéia é virar a situação a seu favor e evitar os infinitos “por quês” que vem logo em seguida do seu sonoro não.

Quantos não você diz aos seus filhos e com eles vem uma discussão ou outra pergunta que necessita de uma resposta imediata, pois eles não têm a paciência necessária para esperar que você confabule uma resposta razoável que os satisfaça. Então por esses e outros motivos, o sim é a melhor saída. Como fazer isso? Eis aqui alguns exemplos:
“Mãe, posso comer chocolate?” (detalhe: antes do almoço. O meu filho adora essa). Resposta: “Sim, depois que você almoçar, posso lhe dar um pedaço”; “Mãe, posso dormir na casa da Joana?” – resposta: “Sim, parece uma boa idéia para quando você tiver 10 anos”; “Podemos ir na Disney?” – resposta: “Sim, parece maravilhoso. Então vamos economizar para que um dia possamos fazer essa viagem”; “Posso ficar acordado até meia noite?” – resposta: “Sim, quando você tiver 15 anos, você poderá fazer isso com certeza”.
Entenderam a idéia? O interessante nisso tudo é que você cria uma atitude positiva nos seus filhos e conduz uma relação familiar baseada em diálogos e não em estressantes discussões que não levam a lugar nenhum.
Provavelmente algum dia, seus filhos irão entender que os constantes sim que recebem, na verdade são um não camuflado (pelo menos um não condicional), mas até que isso aconteça você já criou uma relação saudável e baseada no diálogo.
É claro que em algumas situações um não categórico é necessário, até mesmo porque as crianças precisam entender o significado da palavra não em suas vidas e precisarão aprender a aceitar isso.
Experimente!

9 comentários:

  1. Oi querida...
    Adorei o "Não" camuflado, muito boa idéia... vou usar...
    é sempre bom ler seus posts me ajuda muito...
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Amei o post e confirmo que é super efetivo. Testei e vou usar sempre.

    ResponderExcluir
  3. Adorei Lila!
    Eu procuro nunca dizer não sem uma explicação, não sou adepta a frase de : Eu sou sua mãe e quando eu digo que não é não. Sempre deixo bem explicado o porque, mas vc tem razão quanto a alguns conflitos. essa idéia di Sim não havia passado pela minha cabeça e é tão simples, não é?
    Valeu pela dica!
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  4. Oie...
    Passando pra visitar seu blog amei...
    Já estou te seguindo, para saber sempre das novidades e ficarei feliz em vc me fazer uma visitinha .
    http://mareboucas.blogspot.com
    Bjnhs e sucesso!!!

    ResponderExcluir
  5. Poxa que dica legal! tb vou adotar essa estratégia aqui em casa! legal q vc é psicóloga estou estudando psicologia tb!!! bjs!
    ah e valeu pela visita lá no blog! tô te seguindo tb!!

    ResponderExcluir
  6. Lila, sem dúvida que é por ai. Já imaginou levar essa inteligência emocional para os adultos? Cara, como o mundo seria diferente. Bjão.

    ResponderExcluir
  7. Lila que interessante seu ponto de vista. Dificilmente falamos sim nessas situações. A primeira palavra geralmente é não e somente depois vem a explicação, com a possibilidade de um sim no futuro.
    Essa maneira de inverter (não que está de certa forma implícito) é bacana. Também ficarei atenta.
    Bela dica e reflexão!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. E guando ouvir um não de professore? Colegas? Qual será a reação dessas crianças?

    ResponderExcluir